Ayurveda e a Arte do Equilíbrio

Albert Einstein, certa vez, disse que “viver é como andar de bicicleta, para manter o equilíbrio você precisa manter-se em movimento”. O mais ilustre cientista do século XX pensava o universo como uma dança, onde todos os agentes estão em conexão, em um movimento dinâmico e harmônico entre todas as partes.

O pensamento da Índia antiga, onde podemos encontrar os primórdios da astronomia moderna, se aproxima incrivelmente das ideias descobertas pela física quântica.

Na filosofia dos Vedas, os livros mais antigos do Oriente, vemos que a visão da vida como dança, como equilíbrio dinâmico, já se mostrava tanto na leitura dos astros e dos ritmos de toda a natureza, como no entendimento do organismo humano.

Entretanto, prevalece ainda hoje na visão de mundo ocidental, um entendimento do corpo como uma máquina metabólica, com suas partes ou peças independentes. O que se manifesta na medicina atual com o foco na doença, no desequilíbrio deste ou daquele órgão específico e a desvalorização de uma abordagem integral, que busca enxergar o ser humano como uma totalidade, que entende que tudo que acontece a algum órgão ou tecido, acontece para todo o corpo.

Sem desvalorizar os incríveis avanços do conhecimento médico moderno, é importante destacar como a falta dessa compreensão, de que tudo em nosso corpo, mente e emoções está conectado, é a raiz da crise de saúde pública pela qual passam as populações da maior parte dos países. Antes das especializações médicas e do lobby farmacêutico que tomou de assalto as faculdades de Medicina atuais, podíamos encontrar, mesmo no ocidente, os resquícios do conhecimento médico grego antigo com uma visão mais integral em relação a vida humano, este conhecimento, contudo, se perdeu e foi deixado de lado para favorecer uma visão mecanicista e capitalista do adoecimento humano.

Dos sistemas de Medicina da antiguidade, o Ayurveda foi o único que chegou até hoje em sua completude, pela eficiência da tradição oral indiana, que manteve essa sabedoria viva ao longo de milhares de anos, mesmo antes do surgimento da escrita. O conhecimento ayurvédico teve um desenvolvimento contínuo ao longo de centenas de gerações e sua visão integral sobre o ser humano é um dos grandes legados da humanidade.

Esta milenar ciência da vida compreende, em concordância com o pensamento de Einstein, que a vida é movimento e acontece de forma integralizadora, totalizante e dinâmica. E para mantermos o equilíbrio precisamos apenas permitir e respeitar um movimento natural e saudável das energias físicas e mentais, de uma inteligência celular que digere nutrientes e expele resíduos que precisamos desintoxicar. Ou seja, quando o corpo está estagnado, bloqueio e a falta ou lentidão desses movimentos, encontramos também a raiz de todo e qualquer desequilíbrio físico, mental ou emocional.

Isto se manifesta de formas mais grosseiras como no acúmulo de toxinas que bloqueiam os receptores dos nutrientes, entopem nossas artérias ou causam pequenos desequilíbrios, que eventualmente culminam na falência do órgão e tecido afetado. Também se manifesta nas tensões musculares, na rigidez das articulações e em um sistema imunológico fragilizado.

E, da mesma forma, o desequilíbrio ou adoecimento psíquico poderá se manifestar quando não “digerimos” bem nossas emoções, quando não cuidamos de nossos pensamentos e da saúde de nossa vida interior. Vemos isso claramente, quando percebemos pensamentos repetitivos e  distorcidos, compulsões e rigidez mental, tudo isso se origina da estagnação, do embotamento e da criação de defesas inconscientes, resultando no desequilíbrio do movimento da vida em nós.

Todos nós, em algum ponto de nossas vidas, buscamos nos aprimorar, buscamos pelo equilíbrio ou por termos adoecido ou por uma intuição de que precisamos colocar em prática aquele velho ditado grego: Mente sã, corpo são. O mais importante inicialmente é compreendermos que o organismo humano possui uma tendência natural à saúde e à harmonia, na Medicina ocidental chamamos isso de Homeostase, um estado de equilíbrio dinâmico e contínuo.

Contudo, os excessos da vida contemporânea, o stress, maus hábitos alimentares e a falta de momentos de descanso, paz, conexão, contemplação e autoconhecimento, ocasionam desequilíbrios desse estado natural do ser humano, nos desconectando de nós mesmos. Desta forma, as doenças e desequilíbrios são o estágio final de processos de desarmonia que iniciam pequeninos, como sintomas e incômodos aparentemente irrelevantes em seus inícios. Assim, para que a cura física e mental aconteça é preciso reconhecer as raízes dos desequilíbrios.

O Ayurveda almeja restaurar esse equilíbrio natural do ser humano através de um processo gradual de retomada de si próprio, com mudanças na alimentação e a aquisição de novos hábitos saudáveis, para resgatar a Saúde Integral que um dia perdemos e facilitar a sua manutenção constante para toda a vida. A desintoxicação sazonal e a nutrição ideal de acordo com o seu Dosha permitem que todos os movimentos naturais do corpo estejam em pleno funcionamento, com isso conseguimos expelir as toxinas que acumulamos diariamente e permitimos a movimentação perfeita dos nutrientes pelo corpo, que favorecerão um sistema imunológico forte e uma vida sem doenças e desequilíbrios.

A alimentação é o carro-chefe do Ayurveda, contudo, ela não é a única indicação ayurvédica para a Saúde integral. Desde a antiguidade essa tradição também está intrinsecamente ligada ao Yoga e a Meditação. Uma prática harmoniosa de Yoga permitirá o fluir natural de todas as substâncias produzidas em nossas glândulas e a Meditação irá nos ajudar a limpar nossa mente, nos desintoxicar de pensamentos tóxicos, ideias errôneas sobre a vida e sobre nós mesmos, que por consequência fazem nascer emoções destrutivas.

Quando pensamos em Meditação, podemos nos imaginar parados, sem movimento. Contudo, meditar é, acima de tudo, permitir que o fluxo integrador da vida se manifeste através de nós, sem impedimentos, sem barreiras, sem limites, profundamente em nossa mais simples experiência.

A vida é um infinito de possibilidades e somente quando nos voltamos para o autoconhecimento é que podemos realizar nossas mais altas possibilidades, realizar nossos sonhos mais profundos e viver uma existência de paz e sentido.

O Ayurveda nos auxilia nesse caminho nos permitindo trilhar uma vida plena, prevenindo naturalmente os adoecimentos , com um corpo saudável e vitalizado e uma mente clara, focada e aberta, o que nos capacita a lidarmos bem com quaisquer tipos de emoções, em um espaço experiencial livre, orientado e integrador. 

Nos próximos artigos falaremos um pouco mais sobre esta nossa tendência natural à saúde e como reencontrá-la através das práticas e hábitos indicados pela milenar sabedoria oriental. Se você apreciou esse artigo, compartilhe com os amigos e companhe nossa newsletter, cadastrando seu e-mail aqui no site.

 

Namastê,
Marcus Fonseca


Se você quer conhecer mais a tradição do Ayurveda, principalmente sobre como reencontrar o equilíbrio através da alimentação, convido você para nossa próxima Palestra, um evento gratuito que acontecerá no dia 28 de Maio na UFMG: Os 3 Pilares da Alimentação Ayurvédica para a Saúde Integral. Saiba mais e se inscreva no link abaixo:

Inscrições e mais informações

Quer aprofundar mais em Ayurveda e MeditaçãoLeia estes outros artigos do Blog EntreSer:
– O que é Ayurveda?
– Os 7 Mitos sobre a Meditação
– Ama-Pachana, a Milenar Desintoxicação Ayurvédica


Gostaria de agendar uma Sessão do Ayurveda? Entre em contato!
Ou clique aqui para saber mais sobre a Terapia Ayurvédica e nossas práticas de Yoga e Meditação.

Tags:

Comentários

Seja o primeiro a enviar uma mensagem.

Envie seu comentário

Copyright 2019 ©  Instituto EntreSer – Todos os direitos reservados

r.ramos infotec

Receba nosso Conteúdo

Miminizar Maximizar Fechar